Revisão Integrativa TCC

Guia completo com exemplos sobre Revisão Integrativa para TCC

Tendo em vista que a área de saúde é complexa e exige pesquisas intensas para a atualização e ampliação da área, é cada vez mais necessário que se desenvolvam Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs) cientificamente embasados. Nesse meio surge a dúvida sobre o desenvolvimento de Revisão Integrativa no TCC.

Saiba que utilizando uma revisão integrativa, conseguimos fazer a delimitação mais adequada das etapas metodológicas, organizando o trabalho de modo conciso e isso permite que os pesquisadores consigam elucidar melhor seus os estudos e achados.

Graças à metodologia integrativa, conseguimos sintetizar melhor os conhecimentos dentro da área da saúde e é possível incorporar seus resultados em estudos significativos dentro do formato de TCC.

Conferindo o nosso conteúdo de hoje até o final, iremos apresentar para você, que tem interesse nesta metodologia, todos os detalhes sobre este tipo de revisão, e ainda trazer TCCs prontos elaborados com revisão integrativa.

Aproveite e desbrave a revisão integrativa, como forma de desenvolver melhor o apartado metodológico do seu TCC.

TCC de Revisão Integrativa: o que é?

Significado e definição do que é a Revisão Integrativa para TCC

O que é Revisão Integrativa para TCC?

Primeiramente, vamos entender melhor o significado de Revisão Integrativa no TCC.

Podemos definir a revisão integrativa (RI) para TCC, como um método de revisão específico que engloba literatura empírica, literatura teórica ou ambas, para levar a uma maior compreensão de um determinado fenômeno ou problema de saúde. E tem mais…

É um tipo de revisão que poderá ser encontrada com mais incidência na área de saúde.

Além disso, esta revisão permite a inclusão de diversas metodologias (experimentais e não experimentais) com maior potencial de contribuir para a prática baseada em evidências no campo da enfermagem, avançando na compreensão de problemas clínicos, contribuindo para o desenvolvimento de teorias e proporcionando diferentes perspectivas e compreensão do fenômeno de interesse.

Por todas essas características, tem sido defendida por diversos autores como uma importante metodologia para a ciência e a prática da enfermagem, pois ao analisar e comparar dados qualitativos e quantitativos, permite explicar e dar uma visão mais abrangente dos problemas de enfermagem ou de saúde (que são, por definição, complexos).

Além de oferecer uma boa síntese do conhecimento existente sobre o objeto de estudo, a Revisão Integrativa permite incorporar a aplicabilidade dos resultados na prática.

A Revisão Integrativa é uma revisão ampla, portanto, um dos aspectos importantes de suas características é o tamanho da amostra, que não deve ser limitado por períodos de tempo que respondem aos termos atuais, senão que você pode explorar o problema de interesse desde suas origens, por mais desatualizados que pareçam os documentos que o descrevem, e continuar até a saturação da informação.

Embora seja uma revisão ampla, requer rigor metodológico, e inicia-se com a formulação do problema e objetivos da revisão que orientará a análise das informações.

Uma boa revisão sistemática deve:

  • utilizar métodos que garantam objetividade, rigor e profundidade na análise;
  • considerar tanto a teoria quanto os resultados, métodos, sujeitos e variáveis ​​dos estudos;
  • fornecer informações sobre os estudos analisados ​​e não apenas seus resultados.
Como fazer uma Revisão Integrativa TCC?

5 etapas para o processo de criação de uma revisão integrativa para TCC

Como fazer uma revisão integrativa no TCC?

O processo para fazer uma revisão integrativa de TCC segue uma série de etapas que diferem entre alguns autores, mas basicamente se resume a 5:

  1. Identificação do problema;
  2. Coleta de dados;
  3. Avaliação dos dados;
  4. Análise dos dados;
  5. Interpretação e apresentação dos resultados.

A seguir iremos apresentar de modo mais detalhado cada uma dessas etapas:

  • Identificação do problema: definição da questão de pesquisa e variáveis ​​de interesse. A identificação do problema deve estar relacionada a uma justificativa teórica ou conceitual e ser concreta. Recomenda-se cuidado com definições operacionais muito restritas ou amplas, tendo em vista que podem afetar a qualidade dos resultados, ao não considerar outras definições ou, ao contrário, levar a negligenciar detalhes importantes do estudo. Esses aspectos implicam que o processo seja dinâmico, buscando um equilíbrio constante de definições conceituais e métodos de revisão.
  • Pesquisa bibliográfica: termos de pesquisa, critérios de inclusão e exclusão, limites, população, resultados de interesse. Embora esses critérios devam ser especificados para orientar a busca, mudanças podem ser feitas se sugeridas pela literatura revisada. Essas mudanças devem ser explicitamente justificadas e documentadas.
  • Avaliação de dados: processo de avaliação de dados de acordo com critérios de qualidade que definem as fontes empíricas e teóricas (recomenda-se, por exemplo, desenvolver 2 instrumentos diferentes para os 2 tipos de fontes e que a pontuação neles seja útil; seja como critério de inclusão/exclusão ou adequação/inadequação para a próxima fase de análise dos dados (como variável na fase de análise). Também é possível usar listas metodológicas para revisar a qualidade dos estudos, mas deve-se assegurar que seus critérios de avaliação não desviem o objetivo da revisão (questão de pesquisa) para resultados exclusivamente metodológicos. A escolha desses critérios deve ser adaptada ao melhor esclarecimento do problema.
  • Análise dos dados: nesta fase é necessário que as informações extraídas das fontes primárias sejam ordenadas, categorizadas e resumidas para finalmente poder unificá-las em uma conclusão integrada da investigação sobre o problema. Seu objetivo é a interpretação imparcial e exaustiva das fontes primárias, juntamente com uma síntese inovadora das evidências. O método consiste em redução de dados, apresentação de dados, comparação de dados, conclusão e verificação. Este processo requer uma explicação mais exaustiva de cada seção. Para isso, um sistema de análise de dados qualitativos deve ser projetado (por exemplo, o método de comparações constantes, análise de conteúdo…), um para dados quantitativos, propriedades do instrumento de coleta, amostra, resultados, etc. Uma das formas mais claras e recomendadas de apresentação desses dados é a utilização de tabelas que contenham, não apenas os resultados dos estudos, mas todos aqueles elementos que fornecem informações relevantes sobre suas características e que afetam o resultado.
  • Interpretação e apresentação dos resultados: podem ser apresentados na forma de resumo, análise ou síntese, podendo levar à criação de um novo arranjo do arcabouço teórico do problema de interesse. As descobertas podem ser relatadas na forma de uma tabela ou diagrama. Os resultados devem capturar a profundidade e amplitude do tema e contribuir para uma nova compreensão do fenômeno de interesse. Implicações para a prática e limitações metodológicas da Revisão Integrativa também devem ser apresentadas.

Essas etapas são baseadas na metodologia e padrões de pesquisas primárias e recomendações e estudos sobre desenvolvimento de Revisão Integrativa, e segui-las traz rigor à metodologia de revisão integrativa no TCC.

TCC de Revisão Integrativa: 5 exemplos prontos

Revisão Integrativa com exemplos de TCCs prontos

TCC pronto revisão integrativa 

Trazemos para você agora 5 exemplos de TCCs prontos com revisão integrativa para você ter uma base e referência. Você também pode adquirir ajuda profissional na escrita de seu TCC, solicitando propostas aqui.

Considerações Finais 

Tendo em vista que existe uma necessidade de manter uma prática assistencial que se baseie nas evidências de cunho científico na hora de elaborar TCCs em saúde, a revisão integrativa vem sendo mencionada como um recurso importante dentro da área de saúde.

Isso porque este tipo de método de revisão ajuda a sintetizar as pesquisas que estão disponíveis dentro de uma certa linha temática e corrobora para o direcionamento das práticas que ampliam o conhecimento científico.

Mesmo que seja considerado algo complexo e desafiador, a combinação de dados, no caso da revisão integrativa, ao inserir uma análise sistemática dos dados, acaba reduzindo as margens de erros nos estudos.

Dito de forma resumida, a revisão integrativa é um instrumento de pesquisa que está pautado em evidências, principalmente dentro da área de enfermagem em nosso país.

Portanto, se você quer desenvolver um TCC dentro da área de enfermagem e saúde em geral, apostar em um método de revisão integrativa pode conduzir o seu estudo por um bom caminho.

Explore essa possibilidade! Comente abaixo o que você gostou mais neste tipo de revisão!

E aí? Conseguiu compreender tudo sobre Revisão Integrativa no TCC com nossos 5 exemplos prontos? Compartilhe com a gente nos comentários!

Ajude a divulgar nossos artigos.

Aprenda mais com nossos outros artigos: